Um lugar para fazer amigos e ser feliz

    Cultivando o amor pelo conhecimento

    (62) 3998-6224

    Imagine uma educação…

    que desafie e inspire,

    que fomente o respeito,

    que honre a individualidade do seu filho (a),

    que cultive relacionamentos,

    que preze pela maestria e excelência,

    que construa uma comunidade em parceria com as famílias,

    uma educação sem rótulos,

    uma educação sem limites,

    uma educação para a vida.

     

    ler mais

    Missão, Visão e Valores

    Missão

    Promover educação pela metodologia Montessoriana, centrada na criança, que respeita a infância e suas fases, cultivando a paixão permanente pela exploração e aprendizagem.

    Visão

    Atingir a excelência em educação infantil, formando indivíduos conscientes e com capacidade de se adaptar a diferentes ambientes e situações e construir um mundo melhor.

    Valores

    • Autonomia
    • Criatividade
    • Respeito e Igualdade
    • Colaboração e altruísmo
    • Felicidade
    • Saúde Emocional e Física

    A escola

    • A pré escola Educare surge para contextualizar o ensino para as crianças modernas, reunindo o desenvolvimento das fases da infância e a adaptação ao mundo tecnológico e multicultural. O projeto surge dos anseios de uma mãe, com formação em pedagogia, insatisfeita com a massificação e a queima de etapas percebidas na educação da própria filha.
    • O sistema de ensino praticado na Educare diferencia maturidade e precocidade, respeitando o desenvolvimento individualizado da criança e fomentando sua criatividade, curiosidade e vontade de aprender. Para tanto, apóia-se na metodologia Montessoriana, em que o ambiente e materiais são cuidadosamente planejados e desempenham uma função para auxiliar o desenvolvimento da criança de uma forma lúdica, harmonizando corpo, inteligência e vontade. Para Montessori, brincar é o “trabalho” da criança.
    • A primeira escola montessoriana foi criada pela própria Sra. Maria Montessori (1870 – 1952) em 1907, na Itália (“Casa dei Bambini” ou Casa das Crianças). Desde então sua metodologia foi difundida mundialmente e é amplamente adotada em países como Austrália, Canadá e Estados Unidos e em entidades apoiadas por instituições, a exemplo da Fundação Gates.
    • A Educare nasce para ofertar educação infantil especializada e integrada à tecnologia, em um ambiente de transição entre a casa e a escola, com ampla participação familiar. Mantendo a essência da criança no processo de aprendizagem e desenvolvimento, preza pela felicidade dos alunos e por torna-los adultos diligentes, intelectual e emocionalmente preparados para viver e contribuir com o contexto mundial da década de 2030. Por meio da “pedagogia do amor” a Educare convida a sua família para ser parte dessa jornada. Sejam muito bem vindos.
    • Um lugar para fazer amigos e ser feliz

    • Cultivando o amor pelo conhecimento

    Método Montessori

    A Dra. Montessori desenvolveu a sua metodologia baseando-se na observação científica do desenvolvimento das crianças.

    ler mais

    Maria Montessori

          A Dra. Montessori nasceu na Itália, em 1870, e era uma mulher à frente de seu tempo, tornando-se, em 1896, a primeira mulher a tornar-se médica nesse País. A Dra. Montessori desenvolveu sua metodologia baseando-se na observação científica do desenvolvimento das crianças. Ela percebeu que as crianças são ávidas por aprender e que elas podem se auto-ensinar. Percebeu, ainda, que elas não precisam ser submetidas à manipulação comportamental por recompensas ou punições. Ela desenvolvia, constantemente, materiais conjugando interesses, necessidades e desenvolvimento de habilidades infantis, assim criando um “ambiente preparado”, que permite às crianças a livre escolha entre atividades de desenvolvimento apropriadas.

          Em 1907 ela inaugurou sua primeira sala de aula, a Casa dei Bambini, ou Casa das Crianças, em Roma, enquanto escrevia seu primeiro livro. A dra. Montessori foi convida a ir aos EUA por gênios como Alexander Graham Bell, Thomas Edison, entre outros, que a elegeram primeiro Membro Honorário da Montessori Educational Association of America, como demonstração de gratidão por seu excelente trabalho pela humanidade. Seu trabalho em educação e desenvolvimento humano a levaram a concorrer ao Prêmio Nobel (educação para a Paz), e foi colaboradora da UNESCO. Durante sua vida, estendeu seu trabalho em um modelo compreensivo do desenvolvimento psicológico desde o nascimento até os 24 anos de idade. Delineou abordagens educacionais para crianças de idades entre 0 e 3 anos, 3 a 6 anos e 6 a 12 anos. Escreveu e palestrou, ainda, sobre as idades 12 a 18 e além, mas esses programas não chegaram a ser desenvolvidos durante sua vida.

    Teoria e Método Montessoriano

         O Método Montessoriano enfatiza a independência, liberdade dentre limites e respeito pelo desenvolvimento psicológico, cognitivo, físico e social naturais da criança. É um modelo de desenvolvimento humano que evoluiu a partir de dois princípios básicos. Primeiramente, aprendizes, sejam adultos ou crianças, se engajam em autoconstrução psicológica por meio da interação com seus ambientes – educação ativa. Em segundo lugar, crianças, especialmente abaixo dos seis anos de idade, tem um caminho de desenvolvimento psicológico inato.

    Algumas características do método Montessoriano são:

    • Salas de aula com idades mistas, em turmas com crianças entre 2 e1/2 a 3 anos até os 6 anos de idade.

    • Aprendizagem ativa – oposta à aprendizagem passiva (na qual professores falam e as crianças apenas escutam)

    • O aluno escolhe a atividade dentre opções selecionadas, o “ambiente preparado”

    • Blocos de tempo de trabalho ininterruptos, idealmente três horas

    • Modelo construtivista ou de “descobertas”, no qual os estudantes aprendem conceitos a partir do trabalho com materiais, ao invés de instrução direta.

    • Material educacional especializado, desenvolvido por Montessori e seus colaboradores

    • Liberdade de movimento na classe

    • Professor treinado em metodologia montessoriana

         Maria Montessori identificou características universais inatas na psicologia humana e as denominou “tendências humanas”, dentre as quais: Abstração, Atividade, Comunicação, Exploração e Manipulação (do ambiente), Ordem, Orientação, Repetição, Auto-aperfeiçoamento e Trabalho (também descrito como “atividade com propósito”). Esses são vistos como comportamento de motivação em cada estágio do desenvolvimento, e a educação deve facilitar e se submeter à sua expressão. Tal expressão é ampliada pela possibilidade de atividade livre em um “ambiente preparado”, um ambiente educacional modelado para características específicas de crianças em diferentes idades e para a personalidade individual de cada criança, projetado para ajudar e permitir que a criança desenvolva independência em todas as áreas de acordo com suas diretivas psicológicas internas.

         Além de material Montessoriano apropriado para a idade, o ambiente de exibir características como um arranjo que facilite o movimento e atividade; beleza e harmonia; limpeza do ambiente; estrutura e objetos proporcionais à criança e suas necessidades; limitação de materiais, para que apenas sejam incluídos materiais que apoiem o desenvolvimento da criança; ordem e natureza dentro e fora da sala de aula.

         A metodologia Montessoriana encoraja grupos de múltiplas idades, de modo que crianças mais jovens aprendam com as mais velhas e que as mais velhas reforcem seu conhecimento ao ensinar conceitos que já dominem. Esse arranjo edifica o espírito colaborativo e a alegria de compartilhar o conhecimento, preparando para o mundo real, no qual indivíduos trabalham e sociabilizam com pessoas de diferentes idades e históricos.

         O ambiente preparado provê materiais de aprendizagem montessoriana especialmente projetados, meticulosamente dispostos e disponíveis para uso em um ambiente esteticamente agradável para uma escolha guiada de atividade. Em blocos de tempo de trabalho ininterrupto, as crianças estão profundamente envolvidas com atividades que podem escolher, iniciar, desenvolver e terminar. A interação com o(a) professor (a) acontece quando apoio e/ou orientação se fazem necessários. A sala de aula é preparada pelo professor para encorajar a independência, liberdade dentre limites e noção de ordem. A criança, por meio de escolha individual ativa, faz uso do que o ambiente oferece para o seu desenvolvimento.

         Outra observação da Dra. Montessori foi de que crianças vivenciam períodos sensitivos, ou janelas de oportunidade, ao longo do crescimento. Os professores montessorianos combinam lições e materiais apropriados para esses períodos sensitivos, quando a aprendizagem é mais naturalmente absorvida e internalizada.

         No início da infância as atividades sensório-motoras são a base da aprendizagem, trabalhando com materiais que desenvolvem capacidades cognitivas através da experiência direta: visão, audição, paladar, olfato, tato e movimento.

         Nos primeiros anos, a organização do pensamento continua por meio do trabalho com os materiais montessorianos e curriculum interdisciplinar adicional. Assim, a criança evolui do concreto para o abstrato, começando a aplicar o conhecimento às experiências do mundo real.

     “[Maria] Montessori almejava que as crianças desenvolvessem uma “relação amigável com o erro”, compreendendo que erros são uma parte normal da aprendizagem e, que para aprender, há que se estar disposto a errar e, então, seguir em frente”, escreve John Long, diretor de uma escola montessoriana em Houston, ao escrever sobre a conexão da criança com a educação montessoriana.

         Essa organização da informação – fatos e figuras –prepara a criança para o mundo da adolescência, quando pensamento e emoções evoluem para a compreensão de conceitos universais mais abstratos, como igualdade, liberdade e justiça. Essa é uma abordagem que valoriza o espírito humano e o desenvolvimento da criança como um todo – físico, social, emocional e cognitivo.

    Neurociência e Montessori

         Atualmente, o estudo da neurociência nos proveu bases para explicar e expandir o conhecimento empírico sobre como crianças (e adultos) aprendem, por meio de insights sobre como o cérebro transforma estímulos em conhecimento, conecta, armazena e usa esses pedações de informação de modo ordenado e preciso. Durante qualquer atividade ou lição, vários processos de eventos neurológicos e desenvolvimentais acontecem no cérebro da criança. Mesmo não tendo, há mais de 100 anos, o conhecimento de tais eventos com a clareza que os temo hoje, a dra. Montessori foi capaz de percebê-los por meio do desenvolvimento da criança, assim criando uma educação “cerebral”, cujo impacto e benefício foram comprovados por estudos contemporâneos de neurociência.

         Nas palavras do neuropsicólogo pediátrico e pai de aluno montessoriano, Steve Hughes, “o currículo montessoriano age como gatilho para funções cerebrais específicas que muito ajudam o desenvolvimento cognitivo”, referindo-se ao Montessori como “o método de aprendizagem cerebral original”. A dra. Montessori não contava com os benefícios da tecnologia atual, como a visualização do cérebro infantil e suas áreas ativadas ao lidar com materiais, a exemplo do bloco de cilindros. No entanto, por meio da observação ela percebeu que esse trabalho progressivamente fortalecia as habilidades motoras finas, discriminação de forma e tamanho e coordenação entre mãos e olhos. Em suas próprias palavras, “as mãos são os órgãos de preensão da mente” e seu sistema educacional foi além dos movimentos físicos como métodos de desenvolvimento infantil.

         Sua metodologia vai ao encontro do nosso conhecimento em desenvolvimento cerebral e promove o desenvolvimento de funções cognitivas avançadas, cognição social e competências superiores, a exemplo de empatia e liderança.

         Em uma criança, as mãos são a ligação mais forte com o cérebro, e o método montessoriano tem uma abordagem muito tátil. Movimento motores repetitivos tornam-se modelos (repertório) no cérebro e servem como um ponto de partida para novas experiências. Um exemplo desse conceito é o ato da leitura, que requer três funções cerebrais distintas: captura visual de símbolos, decodificação de seu som e a designação de significado a cada um, as quais podem ser ensinadas separadamente, e, então coordenadas. A aprendizagem com a “mão a massa”, como com os materiais multissensoriais montessorianos do tipo das Letras na Areia e Alfabeto Móvel, estimulam o uso simultâneo dessas funções e a formação de redes neurais que coordenam a leitura precoce e facilmente, com a ajuda da repetição de atividades e padrões de aprendizagem auto-orientada.

         Novamente corroborando com as hipóteses da dra. Montessori, uma descoberta bastante recente da neurologia se correlaciona ao seu método: os Neurônios-espelho. Esses são um grupo de neurônios encontrados no lobo frontal de humanos e de outras espécies, de primatas a pássaros, os quais têm a habilidade de disparar quando um animal ou humano realiza uma ação, ou quando um indivíduo observa outro realizando a mesma ação. A evolução das pesquisas aponta para a importância da aprendizagem pelo exemplo ou imitação. Em uma sala de aula montessoriana, devido à sua apresentação ambiental, grupos de múltiplas idades e repetição do trabalho, as crianças podem observar tanto quanto agir. A observação de outra criança movendo os blocos da Torre Rosa fortalece os trajetos neurais do observador, ainda que ele mesmo não esteja movendo os blocos. As evidências apontam, ainda, para o papel dos neurônios-espelho no contexto social, modelando a resposta às emoções e maneiras apropriadas para solucionar problemas sociais.

         A dra. Montessori cunhou o termo “mente absorvente”, no intuito de comparar a criança a uma esponja, literalmente encharcada daquilo que vê e faz. Portanto, a promoção de um ambiente preparado não apenas em termos de recursos físicos, mas também uma atmosfera segura e terna, leva à criação do que hoje conhecemos como redes neurais que facilitam o desenvolvimento cognitivo, ao passo que habilidades sociais e emocionais são naturalmente desenvolvidas e reforçadas, permitindo à criança atingir seu potencial máximo.

         Antes de tornar-se uma educadora, Maria Montessori era uma cientista. Ela aprendeu por meio da observação atenta e sistemática e por meio das respostas obtidas das crianças, ao invés de lhes forçar a apresentar as respostas esperadas. Ela criou seu material considerando e servindo ao desenvolvimento da própria criança, sem a intenção de classificar a criança em um estágio de desenvolvimento determinado ou atribuído para apoiar uma teoria qualquer. Em uma turma montessoriana, nenhuma criança é deixada para trás.

    Referências:

    http://www.goodatdoingthings.com/GoodAtDoingThings/Welcome.html

    http://www.goodatdoingthings.com/GoodAtDoingThings/Selected_Screencasts.html
    http://www.blog.montessoriforeveryone.com/the-neurology-of-montessori.html
    Montessori: The Science behind the Genius, Dr. Angeline Lillard (book) http://www.montessori-science.org/

    http://homegrownurban.blogspot.com.br/2012/10/the-neuroscience-behind-montessori.html

    Alunos Montessorianos Famosos

    Alunos

    Larry Paige, CEO, Google – “Eu acho que foi parte do treinamento de não seguir regras e ordens e de ser auto-motivado e questionador do que acontece no mundo e fazer as coisas de modo um pouco diferente”, disse Page sobre sua educação montessoriana no The Christian Science Monitor.

    Sergey Brin, Co-fundador do Google

    Jeff Bezos, CEO, Amazon – O The Wall Street Journal relata que, de acordo com a mãe de Jeff Bezos, “o pequeno Jeff se envolvia tanto em suas atividades pré-escolares montessorianas que seus professores precisavam, literalmente, tirá-lo de sua cadeira para a próxima tarefa”

    Jimmy Wales, Fundador, Wikipedia – Wales descreveu sua escola infantil como “filosofia de educação de influência montessoriana”, onde ele “passou longas horas debruçado sobre as Britannicas e World Book Encyclopedias” de acordo com sua página na Wikipedia.

    Will Wright, Criador do vídeo game “The Sims” – Em um TED talk, a metodologia montessoriana inspirou Will a inventar um gênero de vídeo game inteiramente novo – jogos não violentos, de final aberto, no qual os jogadores usam ferramentas de simulação computacional sofisticadas.

    Gabriel Garcia Marquez, ganhador do prêmio NOBEL de literatura – O autor colombiano de “O amor nos tempos do cólera” e Cem anos de solidão” frequentou uma escola montessoriana na infância, Muito websites montessorianos lhe atribuem a citação: “eu não acredito que exista um método melhor que o montessoriano para tornar as crianças sensíveis às belezas do mundo e para despertar sua curiosidade quanto aos segredos da vida”.

    Anne Frank – A famosa escritora da Segunda Guerra Mundial frequentou uma escola montessoriana enquanto viveu em Amsterdam.

    Julia Child,  chef e autora – Em seu livro “Julia Child and Company”, a sra. Child diz que a aprendizagem montessoriana a ensinou a amar o trabalho manual.

    Príncipes William e Harry (e, agora, Príncipe George), Família Real Britânica

    Helen Hunt, Atriz premiada com Academy Award

    Dakota Fanning, Atriz nomeada ao Academy Award

    Sean “Puff Daddy” Combs, produtor/empreendedor musical

    Peter Drucker, “O Pai da Administração Moderna”

    T. Berry Brazelton, Pediatra e Autor

    David Blaine, Mágico

    Katherine Graham (Falecida), Proprietária/Editora do The Washington Post

    Jacqueline Bouvier Kennedy Onassis (Falecida), Editora, Ex- Primeira Dama dos EUA

    ENTUSIASTAS

    Thomas Edison, Cientista, Inventor e Fundador de uma Escola Montessori– o inventor da lâmpada incandescente iniciou quatro escolas montessorianas: “eu gosto do método montessoriano”, foi citado “pois ensina por meio de brincadeiras. Torna o aprendizado um prazer. Segue o instinto natural do ser humano. O sistema atual engessa o cérebro em um molde, não encoraja o pensamento original ou o raciocínio.”

    Alexander Graham Bell, inventor do telefone – ajudou a criar a primeira escolar montessoriana no Canadá.

    Henry Ford, Fabricou o primeiro carro.

    Alice Waters, Restaurateur (Chez Panise), Autora e professora montessoriana treinada

    Erik Erikson, Antropólogo, Autor e professor montessoriano treinado

    Mister Rogers, Personalidade televisivo infantil e grande apoiador da educação montessoriana

    Jean Piaget, Psicólogo Suíço reconhecido e diretor da Sociedade Montessoriana Suíça.

    http://themontessorischool.us/

    http://www.csmonitor.com/Technology/Tech-Culture/2012/0831/Maria-Montessori-and-10-famous-graduates-from-her-schools/Dakota-Fanning

    http://mariamontessori.com/mm/?page_id=571

    Por que escolher Montessori para seu filho(a)?

    “Por lhes serem dados a liberdade e o apoio para questionar, investigar profundamente e fazer conexões, os alunos montessorianos tornam-se aprendentes/aprendizes confidentes, entusiásticos e autodirigidos. Eles são capazes de pensar criticamente, trabalhar de modo colaborativo e agir com confiança – um grupo de habilidades desenvolvidas para o século 21. (Reproduzido de American Montessori Society – AMS – website, www.amshq.org)

    “Nós, na educação montessoriana, vemos os efeitos positivos diariamente. Nós testemunhamos o fortalecimento das habilidades motoras finas das crianças, o aguçar de suas habilidades de raciocínio e sua independência encorajada pela interação diária com o ambiente montessoriano preparado”.

    Lori Bourne, Montessori For Everyone, July 2009.

    http://www.blog.montessoriforeveryone.com/the-neurologyofmontessori.html)

    Resultados Esperados – O quê você perceberá no seu filho (a)?

       A educação montessoriana leva as crianças ao desenvolvimento do seu potencial e a integrar o mundo como cidadãos engajados, competentes, responsáveis e respeitadores, com a compreensão de que o aprendizado ocorre por toda a vida. Algumas características podem ser observadas nas crianças montessorianas em sua vida diária, naturalmente, como parte de seu comportamento e valores:

    • Desde a tenra idade, alunos montessorianos desenvolvem ordem, coordenação, concentração e independência. Em casa serão crianças que sabem de suas tarefas domésticas e responsabilidades, fazendo-as por um senso pessoal de disciplina e completude.

    º Do design da sala de aula e materiais às rotinas diárias, há um aumento na auto-regulação individual emergente – a habilidade de se educar e pensar sobre o que se aprende.

    • Alunos montessorianos são parte de uma comunidade próxima e cuidadosa, espelhando a estrutura familiar. Em casa serão pessoas que se importam, respeitando diferenças e ajudando outras, sejam crianças ou adultos, em seu processo de aprendizagem e receptivas a aprender com eles também. Respeito, gentileza e resolução pacífica de conflitos também são esperados.

    º As salas de aula de múltiplas idades – intervalo típico de 3 anos – torna os alunos mais velhos em mentores e modelos, enquanto os mais novos sentem-se apoiados e ganham confiança para os desafios vindouros. Os professores apoiam o respeito, a gentileza e a crença na resolução pacífica de conflitos.

    • Os alunos montessorianos são aprendentes ativos, buscando o conhecimento por meio dos recursos ambientais que lhes são oferecidos, perseguindo respostas às suas próprias questões. Eles compreendem a liberdade dentre limites, decidindo seu foco e ritmo em um dado contexto. Autocorreção e auto-avaliação os guiam pelo processo de aprendizagem, melhorando seus resultados ao passo em que compreendem erros e enganos como parte positiva da aprendizagem pela experimentação.

    º Ao trabalhar dentro dos parâmetros ditados por seus professores e participar ativamente, a satisfação pessoal do aluno desperta a curiosidade e o interesse, levando ao aprendizado prazeroso por toda a vida. De acordo com o amadurecimento, os alunos aprendem a ter um olhar crítico sobre seu trabalho e se tornam adeptos a reconhecer, corrigir e aprender com seus erros

    Montessori pontos-chave

    • Cada criança é valorizada como indivíduo peculiar
    • Liberdade para aprender no próprio compasso
    • “Auto-regulação”
    • Acomodação de todos os estilos de aprendizagem
    • Ordem, Coordenação, Concentração e Independência
    • Design da sala de aula, materiais e rotinas diárias
    • Orientação do professor e plano de aprendizagem individual
    • Comunidade próxima e cuidadora
    • Salas de aula com idades múltiplas (semelhante à estrutura familiar)
      • Alunos mais velhos gostam de ser considerados mentores e modelos de conduta
      • Crianças mais novas sentem-se apoiadas e ganham confiança quanto aos desafios vindouros
      • Os professores modelam o respeito, a gentileza e a crença na resolução pacífica de conflitos
    • Liberdade dentre limites
    • Trabalhar dentro de parâmetros designados pelo professor
    • Participação ativa na decisão do foco de aprendizagem
    • Satisfação interna desperta o interesse e curiosidade da criança
    • Aprendizagem divertida, sustentável por toda a vida
    • Busca ativa pelo conhecimento
    • Ambiente no qual os alunos tem a liberdade e ferramentas para perseguir as respostas às suas próprias perguntas
    • Autocorreção e auto-avaliação
    • Avaliação crítica do próprio trabalho
    • Reconhecimento, correção e aprendizagem com os erros

    Wellness

    13 Dicas para Famílias Montessorianas

    Montessori em Casa

    1 a 6 anos bilíngue
    Agende Sua Visita.

    Contato

    Setor Marista Goiânia GO

    R. Amélia Artiaga Jardim, 435 – St. Marista, Goiânia – GO, 74180-070, Brazil


    email: contact@educaremontessorigyn.com.br . fone (62) 3998-6224 

    Nome (obrigatório)

    Fone (obrigatório)

    Email (obrigatório)

    Assunto

    Mensagem